Novembro Azul: Secretaria de Saúde realiza ações de prevenção ao câncer de próstata

A Prefeitura de Pombal, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza a semana de prevenção do câncer de próstata, através de consultas com o médico Dr. Antonio Segundo, urologista, e realização de testes de PSA.

Serão dois dias de atendimentos, na policlínica Dr. Avelino Elias de Queiroga (Posto Central).

Nesta segunda-feira (27), o médico realizou uma palestra sobre a importância da prevenção do câncer de próstata.

Após a palestra foram realizados atendimentos.

Também foi debatido a prevenção de câncer bucal com a dentista do município Dra. Helga Dantas, além de realização de testes rápidos com Dra. Maria Rita Lopes.

Na próxima quinta-feira (30), o município estará realizando palestra sobre a importância da prevenção do câncer de próstata e exames.

O evento está previsto para às 18 horas na policlínica Dr. Avelino Elias de Queiroga.

Durante todo esse mês de novembro, a Secretaria Municipal de Saúde, vem promovendo ações de prevenção ao Câncer de Próstata.

No último sábado (25), a Prefeitura de Pombal, através da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Fundação Dalva Carneiro Arnaud e a Clínica CEMOAN, além de outras prefeituras da região, realizaram palestras e exames.

Câncer de Próstata:

O que é Câncer de próstata?

É o tipo de câncer que ocorre na próstata: glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis.

Sintomas de Câncer de próstata

Na fase inicial, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas relevantes, mas podem apresentar sintomas relacionados a outra doença comum que acompanha o envelhecimento do homem, a hiperplasia benigna da próstata, com sintomas miccionais leves a moderados de dificuldade miccional. Nenhuma anormalidade pode ser observada ao toque ou pode-se sentir um nódulo endurecido na próstata.

Na doença avançada, podem ocorrer sintomas mais intensos obstrutivos miccionais causado pelo crescimento local do tumor com compressão da uretra prostática. Em alguns casos os sintomas são decorrentes da doença que está se espalhando pelo organismo, principalmente para os ossos ou pelo seu crescimento loco-regional, causando obstrução dos rins pela invasão dos ureteres.

Diagnóstico de Câncer de próstata

Em homens acima de 50 anos, pode-se realizar o exame de toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA), por meio de exame de sangue, para saber se existe um câncer de próstata sem sintomas. O toque retal e a dosagem de PSA não dizem se o indivíduo tem câncer, eles apenas sugerem a necessidade ou não de realizar outros exames.

O toque retal identifica outros problemas além do câncer de próstata e é mais sensível em homens com algum tipo de sintoma. O PSA tende a aumentar de acordo com o avanço da idade. Cerca de 75-80% dos homens com aumento de PSA não têm câncer de próstata.

Cerca de 20% dos homens com câncer de próstata sintomático apresentam um PSA normal. Dependendo da região da próstata, o câncer também pode não ser palpável pelo toque retal. A melhor estratégia é realizar os dois exames, já que são complementares.

Pacientes considerados de alto risco (com parentes com câncer de próstata) devem realizar o primeiro exame aos 40 anos de idade. Atualmente, conforme o achado desta investigação o paciente é aconselhado a realizar seus exames anualmente ou até bianualmente, ou a cada 3 anos, tudo dependendo do toque e idade do paciente sob investigação clínica.

A sociedade americana de oncologia recomenda realizar exames a cada 2 anos para homens com PSA <2,5 ng/ml e anualmente para os homens cujo nível de PSA é = 2,5 ng/ml.

Prevenção

Alguns médicos recomendam a realização do toque retal e da dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para aqueles com história familiar de câncer de próstata (pai ou irmão) antes dos 60 anos, os especialistas recomendam realizar esses exames a partir dos 40 anos. Entretanto, vale lembrar que somente o médico pode orientar quanto aos riscos e benefícios da realização desses exames. Não existem evidências de que a realização periódica do toque retal e dosagem de PSA em homens que não apresentem sintomas diminua a mortalidade por câncer de próstata.

COMPARTILHAR